segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Pelo som da sua doce voz
Meus olhos se perderam
Te olharam de tal jeito
Que fez arrepio em seu dentro.

Tive medo de altura.
Medo de cair para dentro de você
e assim com minha inconsequência
te querer...
Sem decência e com essência
os seus lábios querer ter.

Queria estar livre
Para doar tal desejo
No mais profundo sentimento.
Assim me acorrento nesse louco desejo
De querer-te apenas por um momento.

Assim sendo meu moreno
Sem qualquer tipo de lamento
Te ofereço  aconchego de ser sua
amiga ou apenas estrela guia.
Alguém que não passará de uma utopia

Por toda sua vida.

Nina

Seu riso me contempla e irradia dia a dia
colorindo minha vida
e me envolvendo com sua alegria.
Seu beijo é meu único mel tolerável
e me faz mais disposta e amável.
Ouvir sua voz a me chamar de mamãe
é a recompensa imensurável desse nosso amor
incontrolável!
Meu caminho nunca foi regado a flores nem água fresca,
é composto de puro rastejo.
Assim como a lagarta,
Um dia ganharei, asas.
E com este sorriso em meus lábios vou,
Voar...voar...voar...
Até a sorte encontrar!
Meu silêncio fala tão alto
que meu timbre fica mudo
e de mim sobram, apenas
soluços.
Isso não são gotas salgadas,
apenas reserva de uma pequena mágoa,
que em mim virou
águas passadas...
Eu falei sem pontos e vírgulas
sem querer interrogar
apenas exclamei
a vontade de exclAMAR.
Que venha leve
Seja leve
E me eleve...
Mágica para mim é fazer açúcar virar nuvem... deliciosamente leve!